Home > Curiosidades > Cuidados com seu pet no verão

Cuidados com seu pet no verão

10 de janeiro de 2020
4 Comentários

 

No calor do verão brasileiro, nossos peludos precisam de cuidados especiais, não só para proporcionar bem-estar, mas também para evitar problemas de saúde.

Segundo o médico veterinário Vinicius Tolentino, cães e gatos “possuem poucas glândulas sudoríparas e por isso quase não transpiram. Eles eliminam calor por contato, deitando em superfícies mais frias, ou pela respiração”(1).

No caso dos gatos, eles também resfriam o corpo e amenizam o calor externo lambendo o corpo, criando uma espécie de “barreira” de umidade no pelo.

O problema é que essas atitudes intuitivas dos animais são pouco eficazes para amenizar o calorão do verão – daí a importância do dono adotar outras medidas para proporcionar mais conforto.

Para ajudar você a cuidar dos seus patudos, a Costashow separou algumas dicas importantes. Vamos a elas?

 

Evite lugares abafados

Nem é preciso lembrar para NUNCA deixar seu animal no carro ou em qualquer local abafado e sem circulação de ar. Ele pode sofrer hipertermia (que aumenta a temperatura do corpo e diminui a capacidade de promover adequadamente a perda de calor) – o que pode causar a morte do pet.

Temos que ficar atentos e sempre deixar os nossos amiguinhos em lugares frescos e arejados!

Essa recomendação é ainda mais importante em animais bronquicefálicos, que sofrem mais no verão e os cuidados devem ser redobrados.

 

Cuidado com o sol

O sol forte do verão traz uma outra preocupação: a possibilidade de adquirir câncer de pele. Assim, evite que os animais fiquem muito tempo expostos ao sol. Se for necessário, não deixe de aplicar filtro solar específico para animais no focinho, nas extremidades das orelhas e na barriga do pet.

Também é uma boa dica trocar os horários de passeio para quando a temperatura estiver mais amena, como na parte da manhã (antes das 10 horas), ou no fim da tarde (depois das 17 horas). E preste atenção ao asfalto ou areia: verifique sempre se não estão muito quentes para não queimar as patas do peludo.

Evite passeios e muita brincadeira em dias muito quentes. Ofereça muita água e pedras de gelo. Se o animal estiver muito ofegante, evite agitá-lo. Refrescar a barriguinha do seu pet é uma outra coisa que pode amenizar o calor. E lembre-se: qualquer mudança brusca no comportamento do seu animalzinho, entre em contato com o veterinário da sua confiança.

 

Dê muita água!

Se sair para passear ou correr com seu cão, não esqueça de hidratá-lo. Uma sugestão é levar uma garrafa d’água especialmente pra ele. E, caso ele fique com a língua de fora, com insistência, ofereça mais líquido. Desidratação é assunto sério.

Também é importante trocar a água do bebedouro várias vezes ao dia para mantê-la sempre muito limpinha e fresca!

 

Tosa Bebê

A Tosa Bebê leva este nome porque deixa o cão com a pelagem do tamanho que tinha quando ele era bebê. É uma boa pedida para o verão, pois o comprimento dos pelos fica em torno de 2 dedos e seu pet fica mais fresquinho. Esse tipo de tosa é indicada para shitzu, lhasa apso, maltês, yorkshire e outros cães de pelagem longa. Consulte um especialista para mais indicações de raças para esse tipo de tosa.

 

Climatização artificial

Ventiladores e ar condicionado podem ser bons aliados nos dias mais quentes. Se o calor estiver difícil de aguentar, ligue um desses aparelhos para refrescar seu bichinho. Mas vale lembrar que, no caso do ar condicionado, alguns cuidados devem ser tomados. Segundo a médica veterinária Camila do Valle Justa(2), o ar condicionado desumidifica o ambiente, o que pode causar ressecamento das vias aéreas, como nariz e garganta. Assim, se o ar condicionado for imprescindível, um umidificador de ar pode ser usado e a temperatura ideal do ambiente para os patudos deve ficar entre 24oC e 34oC.

Para quem anda de carro com seus cães, o ar-condicionado é muito importante, já que os automóveis costumam ficar ainda mais quentes quando as janelas estão fechadas.

 

Cuidado com a leishmaniose

O Brasil está, infelizmente, entre os 7 países mais afetados pela doença(3). Com o verão, as altas temperaturas e o aumento das chuvas, o período se torna propício para a leishmaniose, que além de animais, também atinge os seres humanos. O mosquito-palha é o principal transmissor do protozoário, que tende a se multiplicar em ambientes quentes e úmidos. A melhor forma de prevenção é a higiene e limpeza: evite acúmulo e exposição de lixo, fezes e entulho. Consulte um médico veterinário para maiores informações e formas de prevenção.

 

Pulgas e carrapatos

A temperatura mais quente e o ar com maior índice de umidade são fatores típicos do verão, que incentivam a proliferação de carrapatos e pulgas. Durante a estação, é preciso ter cuidado redobrado para evitar infestações no animal. Para prevenção, é necessário seguir o que o veterinário do seu animal recomenda, tanto para animais novos, adultos ou mesmo idosos. Em caso de proliferação, procure imediatamente uma clínica veterinária.

 

Conclusão

Gostou das nossas dicas?

Mas lembre-se sempre: se aparecer qualquer complicação decorrente do calor, não deixe de levar o seu animal para o veterinário. Ele saberá tratar corretamente os sintomas e te instruir nos cuidados necessários.

 

Referências:

1. Entrevista para o G1 Vales de Minas – InterTV

2. olharanimal.org

3. DNDi (Drugs for Neglected Diseases initiative)

Sobre o Autor:
Administrador Site

COMENTÁRIOS:

Rossana
Boa noite!! Excelente dicas para nossos filhos peludos.
Administrador Site
Obrigada pelo feedback, Rossana! :)
Silvana
Adorei,dicas ótimas ????????
Administrador Site
Obrigada, Silvana! <3

DEIXE SEU COMENTÁRIO:

Mensagem:
Nome:
Email: